Paranavaí não tem problemas, mas consumo de água deve ser racional

Cuidar da água passa, necessariamente, por cuidar das nascentes e rios. Tanto que a Sanepar faz programas de conservação de estradas, matas ciliares, curvas de nível e tratamento de esgoto das propriedades rurais

Paranavaí não tem nos dias atuais grandes problemas de abastecimento e tampouco de qualidade da água. No entanto, a exemplo do que ocorre em todo o mundo, precisa adotar medidas de consumo racional.

Usar água com responsabilidade pode garantir a longevidade do sistema e ainda reduzir custos. Evitar desperdício exige medidas simples, como tomar banho rápido, evitar lavar roupas em pequenas quantidades e várias vezes na semana.

O gerente da Sanepar de Paranavaí, Arnaldo Giovani Rech, aponta um grande problema, muito comum na cidade: limpar calçadas aproveitando a força da água da mangueira ao invés de se valer de uma vassoura. “É a famosa vassoura hidráulica”, lamenta o gerente, pedindo reflexão especialmente neste Dia Mundial da Água.

No geral, a cidade passou pelo Verão sem grandes incidentes, aponta Rech, apesar das altas temperaturas de dezembro a fevereiro. Houve apenas pequenas interrupções no abastecimento em dias de chuva intensa ou falta de energia.

A chuva intensa foi que causou mais problemas. Em casos isolados as pessoas notaram em alguns locais, inclusive com mudança na coloração da água. Nada que tenha comprometido a qualidade, afirma, confirmando que a água da Sanepar é boa para beber.

Para manter o serviço e o volume baixo de reclamações, a Sanepar desenvolve um plano de expansão na captação. Atualmente a água que abastece a cidade vem do Ribeirão Araras e de poços perfurados em locais estratégicos. Para o futuro, já a partir de 2018, será feita captação também no Rio Caiuá, quando haverá a expansão da ETA – Estação de Tratamento de Água.

PRESERVAÇÃO – Cuidar da água passa, necessariamente, por cuidar das nascentes e rios. Tanto que a Sanepar faz programas de conservação de estradas, matas ciliares, curvas de nível e tratamento de esgoto das propriedades rurais.

Para fazer o tratamento de esgoto nas áreas rurais a empresa faz a instalação de biodigestores residenciais. Vinte deles já foram instalados em casas perto do Ribeirão Araras e outros 25 devem ser adquiridos. O custo final é de cerca de R$ 2 mil por unidade instalada.

CONSUMO – O consumo médio de água em Paranavaí é de 12 mil metros cúbicos (equivalentes a 12 mil litros) por família ao mês. Na cidade são 30 mil ligações.

Para garantir o abastecimento mesmo diante de imprevistos, a orientação é que as famílias tenham caixas d’água adequadas. Em média, o reservatório deve ser de 500 litros para uma família de quatro pessoas.

Paranavaí também possui números bons em relação a perdas do produto entre a estação de tratamento e as casas. Ainda assim, o índice é alto: 20%, o que equivale a metade da média nacional – hoje na casa dos 40%. Parte dessa perda se dá por ligações clandestinas ou problemas nas instalações domésticas e rede.

Outro problema em relação ao abastecimento diz respeito a ligações clandestinas de esgoto ou de galeria pluvial (água da chuva). Ocorre que se trata de redes distintas.

Ligar água da chuva na rede de esgoto ou esgoto na rede pluvial é um risco para o morador e seus vizinhos, que poderão ter a casa invadida ou a rua suja por dejetos.

Práticas irregulares, informações ou solicitações de serviços podem ser repassadas para a companhia através do telefone 0800-200-0115, serviço 24 horas.

Também há opções pelo telefone celular – sistemas Iphone ou Android – bastando baixar o aplicativo. Por este serviço é possível acompanhar consumo, situação das faturas, requerer segunda via, entre outros.

Fonte: Diário do Noroeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *