“Vitória no sufoco”, diz técnico

O Atlético de Paranavaí deu passo importante na luta pela volta à 1ª Divisão ao vencer o Maringá FC, de virada, na tarde chuvosa de domingo, no Estádio Waldemiro Wagner.
O time de Paranavaí reverteu a vantagem (2 pontos) do oponente. O time de Rafael Andrade agora tem um ponto a mais e joga pela vitória, domingo, em Cascavel para voltar a fazer parte da elite em 2018.
Para o técnico Rafael Andrade, a vitória de anteontem não foi nada fácil, mesmo com o Vermelhinho jogando a maior parte do tempo com um jogador a mais.
“Vitória no sufoco, um jogo complicado”, disse Rafael Andrade. E foi mesmo. O Vermelhinho teve um primeiro tempo muito bom, mandando no jogo, mas sofreu um gol em cobrança de penalidade, numa falha infantil do zagueiro Leonardo, ao empurrar pelas costas o adversário.
Mesmo em desvantagem no placar, o time atleticano mandou no jogo, chegando ao empate ainda no primeiro tempo também através de penalidade.
No segundo tempo, a tensão tomou conta do jogo. O Paranavaí virou o placar e passou a enfrentar pressão do adversário.
“Nossos atletas entraram conscientes, sabiam que não era um jogo de ligação direta, até porque não tinham firmeza em bater na bola, o campo estava liso, conseguimos controlar o jogo. Mesmo tomando o gol, tivemos autoridade durante todo o jogo. Hoje não tinha outra equipe merecedora da vitória que não fosse o ACP”.
A torcida foi uma atração à parte, incentivando o time na busca da vitória. “Falei que quem faria a diferença seria nosso décimo segundo jogador, é essa torcida que contagia o elenco. É difícil (ver) uma torcida quente como essa no interior”, disse Rafael Andrade, que foi ousado em suas substituições. Ele sacou homens – um da zaga e outro do meio – para deixar o time mais ofensivo e viu o time virar o placar.
“Se você for buscar os casos vitoriosos, daquelas pessoas que são bem sucedidas na vida, em algum momento eles correram risco. Os covardes não chegam a lugar algum, sabíamos da necessidade de vencer, fizemos uma aposta e deu certo. O Maringá valorizou nossa vitória, trata-se de uma equipe bem montada, bem treinada”.
Apesar da euforia da vitória, de ter um ponto a mais na liderança do grupo, Andrade fala que nada ainda foi conquistado. “Não conquistamos o acesso ainda, estamos a uma vitória, é controlar o ímpeto durante a semana para que no domingo possamos coroar este trabalho”.
Para subir à primeira divisão, basta ao Vermelhinho vencer o jogo em Cascavel no próximo domingo. Se empatar ou perder, terá de torcer por derrota do Maringá FC frente ao Andraus, no jogo em Campo Largo. O Maringá só obtém a vaga se vencer ou empatar, desde que o Paranavaí não vença na última rodada.
“Nem o Andraus vai amolecer para o Maringá e nem o Cascavel vai amolecer pra gente. Existe profissionalismo, são pais de famílias que trabalham do outro lado e merecem respeito, não existe esse negócio de favorecimento. Futebol é trabalho, comprometimento no dia a dia”, disse o treinador atleticano.

Torcidas

O Estádio Waldemiro Wagner poderia ter recebido um público muito grande no domingo, mas a chuva prejudicou. Ainda assim, o torcedor que foi esteve animado, cantando e empurrando o time para a vitória. Também estavam presentes cerca de 100 torcedores do adversário.
Durante o jogo, tudo tranquilo, apesar de uns poucos atleticanos irem ao lado da torcida adversária provocar.
Mas na saída do Estádio houve problemas, com agressões, sendo necessário o reforço policial, inclusive com a PM disparando tiros de bala de borracha para evitar uma briga.
Torcedores atleticanos acusam a torcida adversária de perseguir um casal para tomar a camisa e o boné, com uso de violência. Uma moradora das imediações confirmou essa informação. Disse que tentou abrir o portão para acolher o torcedor, mas não deu tempo. Segundo ela, pelo menos 10 torcedores do Maringá pularam sobre o paranavaiense para agredirem.
A polícia militar não recebeu queixa de agressão. Os torcedores do Maringá vieram em dois ônibus e uma van, sendo acompanhados pela PM até fora da cidade.

Ficha técnica

Atlético de Paranavaí 2×1 Maringá FC

2ª rodada do returno da segunda fase da Divisão de Acesso. Estádio Waldemiro Wagner, em Paranavaí. Data: 21/05/2017. Gols: Fabrício (MGA) aos 20min40 e Glauber (PAR) aos 35 minutos do 1º tempo. João Antônio (PAR) aos 15 minutos do 2º tempo. Árbitro: Rodolpho Toski Marques. Assistentes: Marcos Rogério da Silva e Alexandre Cavalcanti de Souza. Cartão amarelo: Alan, Yan e Rômulo (PAR), Dheimison, Danilo, Diogo, Fabrício (MGA). Cartão vermelho: Maikinho (MGA) e Giuseppe (PAR, estava no banco de reservas). Público pagante: 1.378. Total: 1.465. Renda R$ 22.300,00.
Equipes:
Atlético Paranavaí: Dida; Diego Fiuza, Leonardo (Robinho), Glauber e Luan; João Antônio, Alan, João Vitor e Rômulo (Jeferson); Chimbinha e Alessandro (Yan). Técnico: Rafael Andrade.
Maringá – Dheimison; Danilo (Rhuan), Anderson, Diego e Prego; Fabrício, Rodrigo Jesus (Everton), Willian e Andrezinho (Marco Antônio), Paulo Morais e Maikinho. Técnico: Fernando Marchiori.

Fonte: DN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *