Ex-militares devem ficar sem indenização em proposta do governo

Presidente Jair Bolsonaro vai pedir à Advocacia Geral da União que barre o pagamento de indenizações concedidas pela Comissão de Anistia a ex-militares da Força Aérea Brasileira. A soma de R$ 7,4 Bi corresponde aos valores retroativos de decisões favoráveis ocorridas nos governos Lula e Dilma.

As indenizações foram concedidas em processos que os militares alegaram perseguições políticas entre 1946 e 1988. Bolsonaro acionou a AGU após acordo com o comando da Aeronáutica.

Até o ano passado a dívida com anistiados políticos fechava em 17 bilhões, dos quais, quase 10 bilhões já foram pagos. Militares da Aeronáutica, Exército e Marinha receberam 3 bilhões e meio, enquanto outros quase 6 bilhões e meio foram para civis.

A conta já deve ser maior, uma vez que, por lei, não existe prazo final para requerer a reparação. A Justiça brasileira tem 12.669 pessoas à espera de uma decisão, entre elas, Lula e Dilma.

Fonte: Agência Rádio 2, repórter: Bernadete Druzian

Ouça a notícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *