O Governo do Paraná quer estabelecer parcerias entre a Copel e grandes empresas para gerar energia a partir de biomassa. O assunto foi debatido durante o Show Rural, em Cascavel, em reunião com o diretor-presidente da Copel, Daniel Pimentel Slaviero; o secretário de Estado da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara; empresários, prefeitos e o diretor executivo do programa Oeste Desenvolvimento, Danilo Vendrúsculo.

O entendimento é que esse modelo de exploração da biomassa seria o ideal para atender as regiões Oeste e Sudoeste do Paraná. Essas localidades se transformaram no maior polo de produção de proteína animal do Brasil e podem aproveitar esse potencial para gerar energia limpa e renovável. No encontro, foi enfatizado que todos os projetos de ampliação das empresas transformadoras de proteína vegetal em proteína animal têm a energia elétrica como um dos principais insumos. A Ocepar, Organização das Cooperativas do Paraná, entregou um documento com propostas para ampliar a geração e melhorar a rede de distribuição de energia elétrica no Estado.

O Paraná dispõe de um potencial de 3.700 Megawatts de potência só com a exploração de biomassa, segundo o engenheiro químico da Diretoria de Desenvolvimento de Negócios da Copel, Gustavo Ortigara. Os projetos de produção de energia elétrica renovável, com a destinação adequada de resíduos, podem ser executados a partir de parcerias entre a Copel e as empresas da iniciativa privada. Entre as fontes de biomassa avaliadas pela Copel, estão basicamente quatro segmentos: aproveitamento de resíduos do setor sucroenergético e de outras culturas; aproveitamento de biomassa florestal; aproveitamento de biogás da agropecuária, agroindústria, de aterros sanitários; aproveitamento de resíduos sólidos urbanos e industriais.

Fonte: Agência de Notícias do Paraná, repórter: Wyllian Soppa


Ouça a notícia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui