A fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente de Maringá (Sema) agiu rápido e em dois dias localizou a suposta poluidora do Ribeirão Maringá. Peixes foram encontrados mortos no riacho na última segunda-feira. Uma companhia de peças automotivas é suspeita de lançar efluentes que chegaram até o córrego.
A empresa será embargada e multada em R$ 10 mil por descarte irregular de resíduos. Equipe técnica da Sema analisará o dano causado para considerar outra multa. Órgãos como Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Secretaria da Fazenda (SeFaz), Ministério Público e Polícia Ambiental serão comunicados para os devidos procedimentos. Uma outra denúncia sobre córrego Mandacaru é apurada pela Sema.
Morador do conjunto Atenas denunciou no 156 a morte de peixes no córrego. A fiscalização da Sema subiu o leito do riacho a partir do ponto onde os peixes estavam mortos. Até chegar numa tubulação de onde a água saía numa cor escura. Os agentes analisaram o mapa das galerias na região. E vistoriaram ruas e empresas ao redor. Foi verificada hoje uma empresa com frente para a BR-376, saída para Paranavaí, e fundo para a rua Olímpico. Há dois buracos no muro dos fundos, por onde escorria o efluente poluidor e caía num bueiro a três metros do muro. Dali até o córrego são aproximadamente 800 metros. E em torno de 8 quilômetros riacho abaixo até onde os peixes foram encontrados mortos.
A empresa é licenciada pelo IAP. Mas estaria com Plano de Gerenciamento de Resíduos vencido. A multa aplicada é mínima, de R$ 5 mil para cada um dos buracos que empresa fez no muro para escorrer o efluente. A fiscalização comunicou funcionários no início da manhã sobre o suposto crime ambiental. E mesmo assim o efluente continuava sendo lançado no final da manhã quando o secretário da Sema, Marco Antônio, foi até o local pessoalmente.
O secretário e a fiscalização da Sema também foram hoje no córrego Moscado, no Jardim Aclimação. Foi identificada ontem poluição com água escura e espuma. Hoje a água estava turva, mas não havia mais espuma. Mesmo assim, os fiscais vistoriarão a região tentando identificar o poluidor.
Marco Antônio decidiu intensificar a prevenção e fiscalização. Como fazer parcerias com órgãos ambientais e Guarda Municipal. É importante denunciar pelo 156 quando achar algum indício de poluição ambiental.
Fonte: Prefeitura de Maringá