Os 100 projetos selecionados na primeira edição do programa Sinapse da Inovação Paraná foram divulgados nesta terça-feira (15), durante a abertura da Semana Paraná Inovador, no Palácio Iguaçu. Promovido pelo Governo do Estado, por meio da Celepar e da Fundação Araucária, o Sinapse destina R$ 4 milhões para incentivar o empreendedorismo e transformar ideias inovadoras em negócios de sucesso. Cada startup receberá até R$ 40 mil para executar seu projeto.

Além da subvenção econômica pela Fundação Araucária, as iniciativas selecionadas terão o acompanhamento e suporte para o desenvolvimento do produto e modelo de negócio por um período de seis meses. A primeira edição paranaense do Sinapse da Inovação teve 1.851 propostas submetidas, recorde no País.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior afirmou que o incentivo do Estado ajuda não só a criação de novos negócios, como o desenvolvimento de um ambiente de inovação no Paraná. “O Estado financia e acredita nessa geração de pensadores da área de tecnologia, dando o apoio para que eles possam progredir”, disse. “O incentivo aos empreendimentos da área de tecnologia ajuda a desenvolver ferramentas que podem trazer soluções tanto para o poder público, como para o mercado”, afirmou.

SINAPSE – O programa foi criado em 2008 pela Fundação Certi e conta, no Estado, com o apoio do Sebrae e da Federação das Indústrias do Estado da Paraná (Fiep). Antes de chegar ao Paraná, o Sinapse da Inovação já tinha passado por Santa Catarina, em seis edições, Espírito Santo e Amazonas.

Para implantar a proposta no Estado, a Fundação Araucária fez uma análise do Ecossistema de Inovação paranaense para identificar as vocações, potenciais, tendências e oportunidades de cada região. “O Sinapse é uma abordagem tecnológica de como se transforma uma boa ideia em um negócio, que pode criar riquezas, empregos e renda”, destacou o presidente da Fundação Araucária, Ramiro Wahrhaftig.

Para o superintendente estadual de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldo Bona, a iniciativa cria uma ponte entre startups, universidades, empresas de tecnologia e a própria comunidade, que será beneficiada com os projetos de inovação.

“É um programa extremamente importante, que acolheu muitas ideias que agora podem, efetivamente, ganhar mercados e virar negócios, após passar por um processo de tutoria, mentoria e orientação que as ajudaram a ficarem em pé”, disse.

PROPOSTAS APROVADAS – Durante a fase de submissão, cerca de 6 mil usuários se cadastraram na plataforma, resultando na inscrição de 1.851 propostas inovadoras. Elas passaram por três fases de seleção até chegar aos 100 projetos aprovados. A relação pode ser conferida no site www.fappr.pr.gov.br.

O setor com o maior número de projetos aprovados foi a de Saúde e Bem Estar, com 28 iniciativas. Na sequência estão os setores de Tecnologia da Informação e Comunicação (16), Químico e Materiais (11), Agronegócio (7), Eletroeletrônica (7), Biotecnologia (6), Economia Verde (6), Educação (6), Tecnologia de Alimentos (5), Mecânica e Mecatrônica (3), Economia Criativa (2), Turismo, Energia e Mobilidade e Transporte, com uma cada.

Fonte: Agência de Notícias do Paraná