O Festival de Música e Poesia de Paranavaí (Femup) é um evento cultural conhecido em todo o Brasil. Com dezenas de apresentações culturais, o evento deste ano ficou marcado na história. Durante os cinco dias de intensa programação, mais de cinco mil pessoas passaram pela Praça dos Pioneiros, tornando-se recorde de público das últimas duas décadas.

O presidente da Fundação Cultural, Rafael Torrente, atribui o sucesso do evento a diversos fatores. “Logo no início do ano fizemos reuniões públicas com artistas e admiradores do festival. Queríamos encontrar caminhos para melhorar o Femup, deixá-lo mais dinâmico e fazer com que ele crescesse ainda mais.

Tivemos a criação do prêmio Paulo Cesar de Oliveira de aclamação popular para as melhores interpretações, agregamos a mostra de audiovisual às apresentações, fizemos uma boa divulgação do evento, além da intensa dedicação da equipe da Fundação Cultural e de toda a prefeitura”, afirmou.

Outra medida acertada na visão de Rafael foi quanto ao local do festival. “Os artistas já haviam falado que um lugar público com certeza seria muito mais atrativo. Decidimos fazer o evento na Praça dos Pioneiros e a participação da população foi realmente um sucesso. Tivemos tendas, banheiros, cadeiras confortáveis e toda estrutura necessária para atender as pessoas que passaram pela praça. Devemos manter isso para os próximos anos”, enfatizou.

O Femup deste ano recebeu um total de 1.070 inscrições para as três categorias: música, poesia e conto. Foram recebidos trabalhos de 296 cidades de 25 estados brasileiros, além de inscrições da Argentina, França e Japão.

Alguns artistas agradeceram a oportunidade de participar do festival. “Para mim, o FEMUP é um exemplo pra todos os festivais no país. Agradecido por toda a acolhida e pelos dias maravilhosos que passamos em Paranavaí”, disse Daniel Conti, de São Paulo.

“Já tinha vindo para o festival, mas esse ano foi especial. É muito bonito ver o carinho e respeito com que o Femup é tratado. Tenho participado de vários festivais, mas o Femup é o mais marcante sempre”, contou a artista Aline Lessa, do Rio de Janeiro.

Fonte: Portal da Cidade Paranavaí