O manejo de animais de grande porte, como cavalos, é trabalho recorrente da Prefeitura de Maringá, por meio da Secretaria de Meio Ambiente e Bem-Estar Animal (Sema) e da Secretaria de Serviços Públicos (Semusp). Em 2018 foram 2.045 solicitações de recolhimento de animais mortos e 79 de animais vivos. Este ano, foram 2.046 atendimentos para animais mortos e 102 para vivos.
As solicitações dos serviços são realizadas pelo telefone 156 (Ouvidoria Municipal). Os animais mortos são enterrados no terreno do proprietário e, quando não é possível identificar o dono, o animal é levado para um terreno do município. O serviço é feito pela Semusp, com auxílio de caminhão com pá carregadeira.
O atendimento de solicitações envolvendo animais vivos é feito pelo Meio Ambiente. Os animais recolhidos são levados para o Centro de Controle de Zoonoses, onde permanecem por 10 dias. Decorridos esse tempo, o animal é colocado para adoção. Para retirar o animal, após comprovação da posse, o dono paga multa (R$ 500), taxa de transporte (R$ 100) e permanência (R$ 74/dia).
Animais que padecem de alguma enfermidade grave podem ser submetidos a eutanásia, feita por médico veterinário da Secretaria do meio Ambiente, conforme solicitação do proprietário e após avaliação que certifique a necessidade do procedimento. Os custos da intervenção correm por conta do proprietário do animal.
Esgotado esse período, o animal fica disponível para ser adotado, mediante analise do formulário de intenção de adoção. Os animais soltos podem invadir vias e causar acidentes, além de mau cheiro devido às fezes. Casos em que o animal esteja em sofrimento, o proprietário deve solicitar atendimento médico veterinário e se necessária eutanásia, deverá arcar com os custos.
Fonte: Prefeitura de Maringá