Duas ações recentes do Governo do Paraná ganharam destaque durante Encontro Estadual de Empreendedores e Líderes Rurais, nesta sexta-feira (22), no Expotrade, em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. O evento, organizado em parceria pelo Sistema Faep/Senar, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-PR) e Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores Familiares do Estado do Paraná (Fetaep), é voltado para celebrar iniciativas que transformam a realidade do campo.

Este ano reuniu 5,5 mil produtores, de diversas regiões do Paraná, e a programação segue o tema “Liderança Rural”, com o objetivo de ressaltar a importância da representatividade no campo e discutir as relações entre poder de liderança e iniciativa empreendedora.
A temática do evento está conectada com o Programa de Sustentabilidade Sindical (PSS), iniciativa que vem promovendo uma série de estratégias para a formação de novos protagonistas do campo e o estreitamento dos elos do sistema associativo. Durante o encontro, foi reforçada a importância da atuação e mobilização dos produtores para o desenvolvimento dos diversos setores do agronegócio paranaense.

O governador em exercício Darci Piana participou da solenidade de abertura, e reforçou que o Paraná aposta no setor como fator propulsor do desenvolvimento regional. Ele citou o programa de modernização energética na área rural do Estado e a suspensão da vacinação do rebanho contra a febre aftosa como fatores que irão transformar o agronegócio paranaense.

“Vamos conseguir avançar sobre um mercado que até então estava de portas fechadas para o Paraná, ampliando nossa capacidade de exportação de carnes”, afirmou Piana. Ao citar o programa de modernização do aparelho de distribuição energética da área rural, o Paraná Trifásico, ele ressaltou que todos os produtores rurais terão menos prejuízos com esse reforço por parte da Copel no sistema de energia.

PARANÁ TRIFÁSICO – Maior programa de modernização de distribuição energética da área rural do Estado, o Paraná Trifásico será implantado pela Copel e representa investimentos de R$ 2,1 bilhões. Serão transformados 25 mil quilômetros de redes monofásicas em trifásicas, em todas as regiões do Paraná, até 2025.

É o maior investimento da Copel Distribuição e o principal do País nesta área. A atual rede existente foi implantada na década de 1980. “A missão da Copel é fomentar o desenvolvimento. E esse projeto irá revolucionar a forma de levar energia ao campo, representando um salto imenso de qualidade”, afirmou Maximiliano Orfali, diretor de Distribuição da companhia.

Com o Paraná Trifásico, a Copel vai garantir melhoria da qualidade no fornecimento de energia para o campo, além de renovar seus ativos e prover mais segurança aos seus empregados e à população. Os novos cabos são todos protegidos, com nível de resistência reforçada quando atingidos por galhos de árvores ou outros objetos.

Hoje, redes isoladas sofrem com a queda de energia. Com o trifaseamento, haverá interligação entre elas. O efeito será a criação de redundância no fornecimento, ou seja, redes que hoje estão próximas mas não se conversam, passarão a ser interligadas. Se acabar a energia em uma ponta, a outra fornece o abastecimento e, em caso de desligamentos, os produtores rurais terão o restabelecimento da energia mais rápido.

“Uma boa alternativa para o Paraná, com foco em infraestrutura e economia. O Governo do Estado tem criado as condições necessárias para os produtores rurais gerarem renda e riquezas”, disse o presidente da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), Ágide Meneguette.

FEBRE AFTOSA – Desde o mês passado o Paraná deixou de vacinar os rebanhos de bovinos e bubalinos contra a febre aftosa. A suspensão foi autorizada por instrução normativa pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

A medida que proíbe o uso e a comercialização da vacina no Paraná atende o compromisso do Estado de conquistar o status de área livre da aftosa. A decisão se deve à qualidade do serviço de sanidade do Estado, atestada por meio de duas auditorias do Ministério da Agricultura no ano passado.

Com isso, o Paraná passa a ganhar ainda mais representatividade no mercado de exportação de carnes, ampliando as possibilidades comerciais dos frigoríficos instalados no Estado. “O Estado tem políticas efetivas, de fomento, capazes de criar diversas oportunidades de renda para nossos agricultores”, destacou o presidente da Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores Familiares do Estado do Paraná (Fetaep), Marcos Brambilla.

PRESENÇAS – Participaram da solenidade o secretário do Desenvolvimento Sustentável e Turismo, Márcio Nunes; o vice-prefeito de Curitiba, Eduardo Pimentel; os deputados federais Luizão Goulart e Pedro Lupion; o superintendente do Sebrae-PR, Vítor Tioqueta; o presidente da Fetranspar, Sérgio Malucelli; e o ex-governador Orlando Pessuti; além de representantes do setor.

Fonte: Agência de Notícias Paraná