O secretário estadual da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara, participou nesta quarta-feira (27) da inauguração da nova sede da Coafra – Cooperativa Agroindustrial dos Agricultores Familiares de Rio Azul. A estrutura foi construída com apoio do Governo do Estado, que repassou R$ 326 mil pelo programa Prorural (Programa de Desenvolvimento Econômico e Territorial – Renda e Cidadania no Campo), executado com recursos do Banco Mundial.

A obra beneficiou 105 agricultores familiares associados de mais de 25 comunidades de Rio Azul, Rebouças e Mallet, região Sul do Estado. Com local adequado, a cooperativa ganha mais agilidade com o recebimento das mercadorias e o encaminhamento para os clientes. O terreno foi doado em comodato pela prefeitura de Rio Azul.

Segundo o presidente da cooperativa, Luiz Sergio Gurski, com mais organização, fica mais fácil acessar os programas institucionais PAA (Programa de Aquisição de Alimentos), e PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar), que é garantia de compra e de renda para os agricultores associados.

A Coafra foi criada em 2012 e comercializa mais de 30 produtos entre panificados, doces, geleias, polpas de frutas, embutidos, farinhas e hortifrutigranjeiros em geral, O próximo passo – disse Gurski – será organizar ainda mais para transformar parte do espaço em local para venda direta de produtos ao consumidor e também para acessar o mercado varejista da região.

O técnico agropecuário da prefeitura de Rio Azul, Eli José Cabral da Silva, disse que é importante diversificar a clientela entre os mercados institucionais e o mercado direto, para não ficar só dependente do governo.

Gurski agradeceu o empenho da Secretaria da Agricultura, com o programa Prorural e a prefeitura municipal que cedeu o espaço para a cooperativa. “Passamos momentos muito difíceis sem local adequado para o recebimento da produção dos associados e agora essa sede será importante para os projetos que queremos desenvolver”, afirmou.

O presidente da Coafra ficou emocionado com a notícia dada pelo secretário Norberto Ortigara, que a cooperativa também foi beneficiada com a inclusão no programa Coopera Paraná, que vai ajudar a estruturar as cooperativas de agricultores familiares.

Segundo o secretário Norberto Ortigara, essa é a nossa vocação, a de produzir alimentos. “Nada mais inteligente do que investir no que somos bons e oferecer bons alimentos, seguros, com marca reconhecida no mundo inteiro”, afirmou. “Essa é a nossa oportunidade. A gente tem que encontrar o caminho que oferece mais densidade de renda e há um espaço fantástico para isso”, acrescentou.

É assim que o Paraná encontrou seu caminho de maior produtor de frango e agora caminha para o ser o líder na criação de suínos e peixes, salientou Ortigara. “E vamos crescer ainda mais. E quando a gente conta com a visão estratégica do município, que também ajuda na estrutura das cooperativas, o resultado é sempre animador”, emendou.

“Presenciei o surgimento das grandes cooperativas, que também começaram pequenas, como a Coamo, Cocamar, CVale e outras. Esse é o caminho de vocês”, disse. “Vocês devem perseguir o caminho de colher, processar, entregar os produtos e conseguir como resultado mais valor agregado”, acrescentou.

Segundo ele, a Coafra é uma das quase 200 pequenas cooperativas paranaenses que estão encontrando o caminho de agregar valor, de buscar apoio técnico que ajuda a ir para frente. “A gente tem que estar preparado para as coisas novas que estão chegando. Não adianta trabalhar sem planejamento”, disse.

Ortigara frisou que mesmo os pequenos agricultores precisam estar preparados com a terceira revolução agrícola que está chegando em todo o mundo. O apelo mais recente dos consumidores é para produtos mais limpos e sem resíduos de agroquímicos. Para isso, a ciência está contribuindo com a biotecnologia e a nanotecnologia, onde o tratamento de doenças e pragas vai se concentrar numa planta danificada e não num talhão inteiro como é feito hoje, orientou.

PRODUTOR – O agricultor e associado da Coafra, José Adão Faria, ficou animado com o investimento na cooperativa. Ele entrega uma média de 600 quilos de pães por mês, que lhe proporciona uma renda entre R$ 1.500,00 e R$ 2.000,00, que ajuda no sustento da família. Além disso, ele planta milho, feijão e mantém horta na propriedade de 8 hectares, onde trabalha com a esposa e o filho.

Adão é um adepto das pequenas cooperativas familiares porque é através delas que acessa os mercados institucionais. “Sozinho não conseguiria fornecer alimentos para o PAA e o PNAE”, disse. A cooperativa consegue volume e organiza os produtos e as entregas, acrescentou.

Estavam presentes na solenidade o prefeito de Rio Azul, Rodrigo Skalicz Solda; a chefe do núcleo regional da Secretaria da Agricultura em Irati, Adriana Baumel; prefeitos e lideranças da região.

Fonte: Agência de Notícias Paraná