Clipes sertanejos mais vistos no Youtube, em Maringá

Quem encontra Moracy Jacques Júnior, 45 anos, pelas ruas de Maringá nem imagina, mas o maringaense é responsável pela gravação dos clipes musicais e DVDs de artistas mais assistidos da internet.

Profissional da área de vídeo desde os 13 anos de idade, Jacques, como é conhecido na cidade, já gravou clipes e DVDs de inúmeros cantores que estão no auge da música sertaneja, dentre eles: Michel Teló, Luan Santana, João Bosco & Vinícius, Munhoz & Mariano, Cristiano Araújo, Leonardo, Gustavo Mioto, Marcos & Belutti, Bruno & Barreto, Conrado & Aleksandro, Thaeme & Thiago e muito mais.

Um dos últimos trabalhos do maringaense foi a gravação do clipe da música “Vou para o alvo”, do Padre Reginaldo Manzotti com o DJ. Alok, em Curitiba. O clipe já tem mais de 1,3 milhões de visualizações no YouTube e marcou uma fase nova na carreira do padre.

Outro trabalho é a gravação do DVD do cantor sertanejo Gustavo Miotto, em Fortaleza. Um dos clipes, da música “Com ou sem mim”, tem quase 50 milhões de visualizações no YouTube.

Jacques foi responsável também pela produção e gravação do quadro Bem Sertanejo, do programa Fantástico, da TV Globo, onde Michel Teló levava os telespectadores para os bastidores dos maiores eventos de música sertaneja do País.

Moracy Jacques Júnior nasceu em Maringá, é casado e pai de um filho de 14 anos. É na Cidade Canção que ele mantém a sede da produtora que grava clipes para o Brasil inteiro. Ah, o produtor de vídeos não tem vontade nenhuma de deixar Maringá. Ele prefere passar dias viajando do que se mudar dessa cidade.

Como Jacques conseguiu conquistar esse mercado tão exigente? Como é gravar um DVD de uma pessoa famosa? E quais os planos para o futuro? Essas são algumas perguntas que você encontra as respostas na entrevista abaixo.

Entrevista:

Quando e como começou a trabalhar com gravações de vídeos?

Iniciei aos 13 anos ajudando meu pai que já tinha uma produtora em Maringá. Em 1987 já fazíamos gravações de aniversários, casamentos e batizados. Eu via meu pai fazendo isso e sempre tinha muita vontade de ajudar. Depois que comecei nunca mais parei.

Em que momento você migrou para a gravação de clipes e DVDs musicais?

Eu estou desde 2005 envolvido com o meio sertanejo. Como profissionais sempre tivemos a preocupação de buscar novos nichos de mercado e quando a área de casamentos e aniversários começou a saturar aqui em Maringá a gente foi pro setor de formaturas. Ficamos um tempo nessa área, mas saturou também e, em 1996 migramos para a gravação de publicidade e propaganda, outro setor que logo encheu de pessoas fazendo. Daí dei a ideia pro meu pai da gente partir pra área musical. Começamos em 2005 com a gravação de clipes gospel e fomos trabalhando, aprendendo a fazer esse novo estilo e acabamos conquistando nosso espaço no cenário nacional.

Como conquistou os cantores e produtores de música sertaneja?

Entrei no meio sertanejo por conta do Michel Teló. Em 2009 fiz o primeiro trabalho para o Michel, que foi a gravação do primeiro trabalho dele sozinho também. Foi aí que meu nome foi para o Brasil inteiro e outros produtores e cantores viram o material e gostaram. De lá para cá foi só aumentando a procura pelo nosso trabalho.

Mas é engraçado porque em 2006 eu fui atrás de vários cantores que estavam começando carreira na região pra fazer clipes de graça e iniciar um portfólio. Ninguém quis meu serviço nem de graça [risos]. Eu dava toda a estrutura e entregava o material pronto para os caras mas eles não confiaram em mim. Depois do Michel Teló minha vida mudou completamente.

Quando um artista te contrata, como você e sua equipe fazem a montagem de toda a estrutura como palco, posicionamento de câmeras, microfones, dentre outros?

São reuniões e mais reuniões para chegar a um desenho de como será a estrutura. Precisamos extrair do artista o que ele quer fazer, o tamanho do projeto, quantas pessoas eles querem no público, tipo de cenário. A gente aciona os parceiros e começamos a desenhar cenário, montar a operação de luzes e outros.

É muita gente trabalhando em um projeto. Em alguns casos temos na ficha técnica 180 pessoas trabalhando. E a responsabilidade maior é com certeza do diretor [risos], no caso eu. A gente divide tudo por setores e vamos montando. Tem que pensar o tempo todo na imagem. Até os fãs clubes a gente organiza onde eles vão ficar, quais músicas serão cantadas por eles. É um trabalho árduo mas muito prazeroso. Eu gosto demais.

Você já teve algum imprevisto na hora de gravar que comprometeu a gravação de um clipe ou DVD?

Você tem que estar pronto para todos os imprevistos. O que mais acontece é o fato tempo. Chuva forte então temos direto [risos]. Tem um dvd do Munhoz & Mariano que foi num estádio de Presidente Prudente. Foi um dos maiores dvds que já fiz até hoje em questão de estrutura. Antes de começar o show, caiu o mundo de água. Era muita chuva. A dupla queria gravar debaixo de chuva mesmo, mas o engenheiro elétrico não autorizou por conta dos riscos de alguém levar um choque. Resumindo, a gravação precisou ser adiada. Foi muito triste, mas imprevistos com o tempo sempre acontecem.

Num DVD do Luan, em 2009, tivemos o mesmo problema. Estava marcada para um domingo em Campo Grande e tivemos que jogar para uma terça-feira porque deu um temporal e uma parte da cenografia foi destruída. Não dava para gravar.

Mas olha, já gravamos muitos clipes e DVDs debaixo de chuva mesmo. Já fiz um da Thaeme & Thiago debaixo de chuva, do Fiduma & Jeca e outros. Cada caso é um caso.

Deve ser muito prazeroso ver o resultado na internet ou no DVD depois, né?

O grande desafio do meu trabalho é trabalhar com o sonho de uma pessoa. Quando o artista me contrata ele tem um sonho de gravar aquele material. Você tem que tratar aquilo de uma forma muito profissional. É um investimento altíssimo que ele faz. E quando a gente vê o resultado dá uma sensação muito boa sim. É inexplicável.

A maioria das gravações agora são focadas para o YouTube. Isso faz diferença no seu trabalho? Antes era somente para o DVD.

A gente acompanhou a evolução do mundo cenográfico. Antes só rodava vídeos no DVD mas hoje está tudo no YouTube. E a gente já trabalha sim pensando no YouTube. Para os artistas é muito bom porque eles têm a monetização do vídeo no YouTube. E tem a questão também que o DVD trabalha com uma qualidade de vídeo muito baixa. No YouTube já trabalhamos com 4k. Antes a gente gravava com uma mega qualidade e tinha que compactar para caber em um DVD e isso perdia qualidade de som e imagem. Mas hoje a gente vê a qualidade do nosso trabalho como ele realmente é. É a mesma qualidade de gravação que vocês assistem no YouTube.

Como foi para você gravar a nova música do padre Reginaldo Manzotti com o Alok? A gente percebeu que o padre mudou bem o estilo de gravação, né?

Sempre admirei muito o padre e foi bem legal trabalhar com ele. O mais bacana foi que ele me deu liberdade para trabalhar o estilo que eu to acostumado a fazer, que são esses clipes mais agitados. Quando sentamos com o padre ele falou que eu poderia fazer o que o público gosta. Incorporamos no projeto o que um sertanejo usa. Eu adorei fazer porque comecei com gospel. Foi muito legal. Uma sensação diferente. Eu até pedi para tirar foto com ele, coisa que raramente faço [risos].

Qual sua relação com Maringá? Tem planos de montar escritório em São Paulo?

Sou nascido e criado em Maringá e não vou embora de jeito nenhum. Os artistas sempre me convidaram para montar escritório em São Paulo mas eu nunca quis. Sempre quiserem me levar. Mas o engraçado é que as coisas se inverteram. Hoje os artistas vem aqui pra região gravar o videoclipe. Eu acabo trazendo eles para cá. Eu amo essa cidade.

Veja abaixo o clipe da música “Vou para o alvo”, do Padre Reginaldo Manzotti com o DJ. Alok, em Curitiba, gravado pelo maringaense.

Música “Com ou sem mim”, do DVD de Gustavo Mioto, que possui quase 50 milhões de visualizações no YouTube. A gravação foi feita pelo maringaense.

Um dos quadros do Bem Sertanejo, exibido no programa Fantástico, da TV Globo. Todos os quadros foram gravados por Jacques Júnior.

Fonte: GMCOnline